O recurso na ordem de R$ 18,4 milhões para a realização da obra foi uma conquista do reitor José Roberto Scolforo junto ao então deputado federal Carlos Melles

O Pró-Reitor de Infraestrutura da Universidade Federal de Lavras, Jackson Antônio Barbosa, visitou na sexta-feira, dia 22, a obra de construção do Hospital-Dia Ufla, ele estava acompanhado do engenheiro Olival Pimentel, do Consórcio CGP – Grupo de Arquitetos e Urbanistas, que está edificando o prédio da unidade de saúde. A Reportagem do Jornal de Lavras acompanhou a visita e conversou com o engenheiro Olival e com o Pró-Reitor Jackson.

As obras do Hospital-Dia Ufla, que está sendo construído no terreno onde funcionou o antigo “Hospital do Coração”, na zona oeste do município, está na fase de perfuração de tubulões e concretagem. A primeira laje deverá ser batida no final de abril, como explicou o engenheiro responsável pela edificação Olival Pimentel, da Construtora Gomes Pimentel.

Esse modelo de unidade de saúde é inédito na região, depois de concluída vai prestar 100% dos atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), incluindo consultas médicas especializadas, exames de apoio diagnósticos especializados e cirurgias eletivas de baixas e médias complexidades, que exijam internação não superior a 12 horas.

O Hospital Dia-Ufla terá uma parceria com a Prefeitura de Lavras e, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde, grande parte das cirurgias feitas hoje pelo SUS no município de Lavras pode ser classificada na modalidade eletiva de baixa e média complexidades. Dessa forma, a estrutura permitirá atender a uma demanda importante da população, com elevação significativa na qualidade dos serviços prestados e redução da sobrecarga dos hospitais da cidade, permitindo que eles se dediquem fortemente aos procedimentos de maior complexidade. Além das especialidades, o planejamento para a estrutura em Lavras prevê o atendimento de emergências.

Segundo explicou Jackson Barbosa, a Ufla ficará responsável especialmente pela construção da área física, aquisição de equipamentos especializados e custeio de atividades acadêmicas envolvidas. A Prefeitura contribuirá com equipamentos básicos, profissionais técnicos para atendimento e custeio dos serviços prestados à população.

A área de construção do Hospital-Dia Ufla é de 7,7 mil metros quadrados, depois de pronto aquela unidade de saúde vai gerar mais de 250 empregos diretos e cerca de 300 indiretos. O recurso para a realização da obra foi viabilizado junto ao Ministério da Educação, foram assegurados R$ 18,4 milhões, pelo então deputado federal Carlos Melles através da interferência do reitor José Roberto Scolforo. A previsão de início do funcionamento do Hospital-Dia Ufla é em setembro de 2020.

No momento estão sendo construídos 93 tubulões para contenção e 132 estacas para fundação. Tão logo seja concluída esta fase da obra, terá início um desaterro para a construção da garagem do prédio, que vai garantir estacionamento para todos os veículos dos servidores da unidade de saúde. Em seguida, começa a construção das lajes.

Além do benefício de atendimento direto à população, o Hospital-Dia terá papel a cumprir nas atividades acadêmicas dos cursos da Ufla ligados à área de saúde, notadamente Medicina, Nutrição e Educação Física, será um hospital universitário.

Segundo explicou o reitor José Roberto Scolforo na reunião da Câmara Municipal, quando foi falar sobre a obra, em setembro do ano passado, a unidade já nasceu tendo por princípio a oferta de um serviço de alta qualidade ao cidadão, seguindo o histórico de excelência que marca o percurso da Ufla e sua atuação nas ciências agrárias.

“O ponto determinante para nós nessa iniciativa é que estejamos construindo um atendimento de saúde de ponta não só em sua qualidade técnica, mas principalmente no alto padrão de relacionamento que manteremos com cidadãos de todas as classes sociais, garantindo que todos sejam atendidos com a mesma dedicação”.

Mesmo com o Hospital-Dia em funcionamento, a parceria do curso de Medicina da Ufla com os outros dois hospitais – Santa Casa e Vaz Monteiro – permanecerá, o que é fundamental, especialmente para que os acadêmicos acompanhem os procedimentos de maior complexidade.